O futuro da internet feat. André Staltz - ep #9
03/08/2020

Hoje o Capitalistas de Merda recebe André Staltz. André é brasileiro, mas atualmente vive na Finlândia. É um ativista da Web, mestre em ciência da computação, palestrante e desenvolvedor open-source. No episódio abordamos os temas relacionados ao passado, presente e futuro. A internet/web que conhecemos está morta? Quais são as soluções técnicas mais legais que possibilitarão a construção de uma nova internet?

Olá, eu sou o Jaydson Gomes e este é o Capitalistas de Merda.

Em 2017, tivemos uma palestra na na BrazilJS Conf, que considero um marco.
O título da palestra na época foi “O fim da Internet”.
Nessa talk, o palestrante falava sobre o estado atual da internet naquele ano, mostrando que na verdade a internet já tinha começado a morrer em 2014.
Os sites mais visitados no Brasil na época eram basicamente Google, Facebook e sites de mídia (portais de conteúdo, etc).
Nos EUA também, e acho que podemos afirmar que no resto do mundo os números também fossem semelhantes.
O tráfego de sites de mídia (de todos os sites na real) possuem sua origem primária oriunda de Google e Facebook.
Entre 2015 e 2016 esse número chegou a 80%.
No Brasil, 95% das buscas na internet são feitas no Google.
Na mesma época, 70% do tempo em smartphones era consumindo produtos e serviços de Google e Facebook (WhatsApp, Instagram, Facebook).
Hoje tenho a honra de receber aqui no Capitalistas de Merda, André Staltz, a pessoa que deu essa palestra em 2017, para falarmos sobre o que mudou desde 2017 e falar sobre o futuro/presente da Internet.

Andre é um brasileiro que nunca se sentiu brasileiro e hoje vive na Finlândia.
Ele trabalha como independent contractor, é palestrante e desenvolvedor open-source.
É mestre em ciência da computação e também é músico.

“Meu objetivo pessoal em descentralizar a Internet é criar e promover ‘serviços’ que não podem ser adquiridos. É a única maneira” - André Staltz

“O problema da internet pode ser resumido em uma palavra: Monopólio” - André Staltz

“O monopólio mata a inovação, as correntes de ideias e a competição” - André Staltz

“É difícil você criar alguma coisa na internet ou estabelecer um fundamento na internet, através de empresas” - André Staltz

Citações

The Master Switch: The Rise and Fall of Information Empires
https://www.goodreads.com/book/show/8201080-the-master-switch

No Filter: The Inside Story of Instagram
https://www.goodreads.com/book/show/50772888-no-filter

Músicas do André
http://soundcloud.com/andrestaltz

André Staltz - O fim da Internet - BrazilJS Conf 2017
https://www.youtube.com/watch?v=CcDMWrH6VHU

Manyverse
https://www.manyver.se/

Scuttlebutt
https://scuttlebutt.nz/

Intact Notation
https://github.com/staltz/intact

Em vídeo

Para quem gosta de consumir o conteúdo em vídeo, segue abaixo. E ah, se inscreve lá no canal do Capitalistas de Merda no YouTube!

Dicas

Homo Deus: A History of Tomorrow
https://www.goodreads.com/book/show/31138556-homo-deus

Animals as Leaders
https://www.animalsasleaders.org/

Créditos

Música de abertura: Capitalistas de Merda, Jaydson Gomes
Imagem da thumb: https://unsplash.com/photos/Zq6HerrBPEs


Hosts

Jaydson Gomes

Jaydson Gomes

Jaydson Gomes atua na área da tecnologia desde o início dos anos 2000. Antes disso, seu contato com computadores só era possível quando visitava seus primos, que já possuíam acesso à tecnologia. Somente por volta dos 16 ou 17 anos é que teve seu primeiro computador, um AMD K6 II 500Mhz com overclock. Sua primeira interação com o mercado da tecnologia foi em seu primeiro emprego, em uma loja de informática de um amigo, onde aprendeu a montar e consertar computadores.


Participantes deste episódio

André Staltz

André Staltz

Oi! Desenvolvo software de código aberto, ensino programação e escrevo artigos.
Minhas áreas de foco são: JavaScript, interfaces de usuário, programação reativa, React Native e redes ponto a ponto.
Estou criando o Manyverse, uma rede social fora da rede.
Minha esperança para o projeto é ser um aplicativo social móvel confiável e não comercial, especialmente para comunidades com conexão limitada à Internet. Quero ajudar o mundo a experimentar mais bondade e simplicidade, também na era da informação.
Você pode me ajudar doando para o OpenCollective do Manyverse ou para a minha página no Patreon.